Comitiva conheceu o Cemaden, no complexo do Parque Tecnológico


Um grupo de vereadores fez uma visita institucional ao Parque Tecnológico, nesta quarta-feira (17). Os parlamentares foram recebidos pelo secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico, Alberto Mano Marques, e pelo diretor-geral do Parque Tecnológico, Marco Antônio Raupp.
Os anfitriões fizeram uma explanação sobre a história do Parque Tecnológico, inaugurado em 2005, sua atual situação e seus projetos futuros.
O grupo, formado pelo presidente Juvenil Silvério (PSDB), o vice-presidente Robertinho da Padaria (PPS) e pelos vereadores Cyborg (PV), Fernando Petiti (PSDB), Lino Bispo (PR) e Marcão da Academia (PTB), percorreu as instalações do complexo por cerca de duas horas.
Os vereadores conheceram o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), as obras do centro empresarial 4, o centro empresarial 2 e a incubadora de empresas.
No Cemaden, os parlamentares visitaram a sala de operações de onde são emitidos os alertas de chuvas.
Bate-papo
O secretário de Inovação e Desenvolvimento, Alberto Mano Marques, destacou a importância do parque no desenvolvimento da cidade. “O parque é estratégico e um vetor econômico para a cidade. Ele proporciona uma série de conquistas como a formação de capital humano de alto nível. Isso aqui é o Brasil que dá certo”, disse.
Marques relembrou a contribuição da Câmara na aprovação de uma emenda à lei de zoneamento que transformou a área do parque em Zeptec (Zona Especial do Parque Tecnológico), garantindo a vocação tecnológica da região.
O diretor-geral do Parque Tecnológico, Marco Antônio Raupp, fez um retrospecto do legado tecnológico da cidade, iniciado na década de 1950 com a instalação do DCTA e do ITA, até o momento. “A tônica da política de São José sempre foi a de estimular a inovação e o empreendedorismo. O Parque transforma o conhecimento gerado em bens de valor tecnológico”, disse.
Raupp destacou que a vocação do parque continua sendo a de incentivar o desenvolvimento tecnológico, mas que também é interesse da direção estimular a criação de um centro de lazer e cultura, além de uma rede de serviços, como agências bancárias.
Raupp apresentou ainda um balanço dos últimos oito anos de investimentos no Parque Tecnológico. Segundo ele, entre 2005 e 2016 o parque recebeu cerca de R$ 2,1 bilhões em investimentos. A maior parcela veio da iniciativa privada com R$ 1,6 bilhão.
Atualmente, o Parque Tecnológico mantém cerca de 60 empresas residentes, quatro centros empresariais, além de laboratórios, uma incubadora e uma cidade universitária (Unesp, Fatec, Unifesp, Univest e Anhembi-Morumbi). Cerca de 6 mil pessoas circulam pelo complexo.
Questionamentos
Durante o encontro, o vereador Lino Bispo indagou sobre a sustentabilidade financeira da instituição. De acordo com o Parque, para 2017 estão previstos investimentos na ordem de R$ 9,4 milhões, sendo R$ 5,6 milhões da Associação Parque Tecnológico e outros R$ 3,8 milhões da Prefeitura de São José.
Os vereadores Marcão da Academia e Robertinho da Padaria questionaram a segurança na cidade universitária. Marques respondeu que o Parque investiu no reforço da iluminação, na instalação de câmeras de segurança e na intensificação de rondas.
O vereador Cyborg perguntou sobre os desafios para atração de novos investimentos. De acordo com Marques, além de benefícios tributários e de mão de obra capacitada, também é desafio adaptar as instalações para o crescimento do complexo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Funcionários da OS do Esporte entram em aviso prévio

Prefeitura dá início às ações para recuperação do jequitibá de Eugênio de Melo

Centro de Atendimento ao Cidadão ajuda quem busca informações sobre FGTS inativo